Buscar
  • Marilene Simioni

Biofeedback - Frequência de Variabilidade Cardíaca (FVC)



Freqência da Variabilidade cardíaca (FVC) Biofeedback : Freqüência da Variabilidade

Cardíaca ( FVC) : permiti aos pacientes desenvolver a capacidade auto regulação. Envolve o retorno imediato da informação através de aparelhos sensórios eletrônicos, sobre processos fisiológicos (frequência cardíaca, O método permite à pessoa voluntariamente regular suas reações fisiológicas e emocionais.. Todos os processos fisiológicos podem ser controlados através do uso de Biofeedback

O treinamento inclui diferentes métodos de conscientização e relaxamento, como, por exemplo, técnicas respiratórias, O termo treino por Biofeedback entrou em uso, por volta de 1969 , quando demonstrou ser uma ferramenta útil no ensino e aprendizado de processos de auto regulação que envolvem treinamento. O termo é formado pelo radical 'bio' (vida) e 'feedback' (retorno de informação). O Biofeedback, que também é descrito como "método de treinamento psicofisiológica por meio de equipamentos eletrônicos", é uma ferramenta utilizada na pesquisa, treinamento e tratamento clínico de profissionais de instituições de referência mundial, quase que em toda a totalidade. Aspetos como o stress , padrões de ondas cerebrais, respiração, batimentos cardíacos, tensão muscular, fluxo sanguíneo, temperatura, entre outros, são captados e filtrados. As amostras são convertidas e transmitidas ao paciente, em tempo real, por meio de equipamentos que treinam estes padrões. Em ambientes clínicos, esses e outros processos de auto regulação adquiridos, através do treinamento em Biofeedback, podem ser usados para reduzir ou eliminar sintomas de desordens orgânicas ou relacionadas ao stress, para recuperar funções musculares e reduzir a dor resultante de um ferimento ou doença. Pode ser usada como modalidade terapêutica principal ou associada com outras intervenções terapêuticas, tais como: aconselhamento de estilo de vida, treinamento em dessensibilização, reestruturação cognitiva ou psicoterapia. Gradualmente, o treino por Biofeedback desenvolveu-se em um poderoso procedimento terapêutico. Em ambientes educacionais e empresariais, o treino por Biofeedback é uma ferramenta para o desenvolvimento de relaxamento profundo e gestão do stress, processos que são importantes na prevenção das doenças relacionadas ao stress. Em todas as aplicações, a meta do treinamento em Biofeedback é a auto regulação, isto é, a aprendizagem de como controlar tanto os processos físicos quanto os mentais, para um funcionamento melhor e mais saudável.


Através dos treinos os pacientes aprendem a reduzir o stress e adquirir o equilíbrio emocional. A redução do estresse através do desenvolvimento deste processo científico e tecnologia avançada permite que você: • Seja menos reativo, comece a pensar claramentee a tomar boas decisões, especialmente sob pressão. • Melhorar a saúde, resistência e bem-estar; manter o equilíbrio pessoal e evitar o stress e burnout.(Síndrome de Burnout é um distúrbio psíquico de caráter depressivo, precedido de esgotamento físico e mental intenso, definido por Herbert J. Freudenberger como "(…) um estado de esgotamento físico e mental cuja causa está intimamente ligada à vida profissional". • Maximize a criatividade e inovação. • Aumente o desempenho e inteligência geral. • Ritmos cardíacos adequadospodendo alcançar uma boa a zona de desempenho (fora da zona de esforço). • Transformar a resposta fisiológica do estresse em reequilíbrio de corpo - mente e emoções desenvolvendo melhor as áreas do intelecto, criatividade, a capacidade de tomada de decisão e habilidades de comunicação.


O equilíbrio da frequência da variabilidade cardíaca melhora o bem-estar e facilitar o crescimento pessoal, baseada em aprender a mudar seu padrão de ritmo cardíaco para criar coerência; um estado cientificamente mensurável caracterizada por aumento da ordem e harmonia em nossos processos psicológicos e O paciente através dos treinos com o Biofeedback FVC aprende a controlar sua fisiologia através da respiração, juntamente com seus ritmos do coração e com foco em emoções positivas. Essa tecnologia avançada coleta dados de pulso e traduz as informações de seus ritmos cardíacos em gráficos no computador. Como você se concentrar em uma emoção positiva e respira junto com seus ritmos do coração, você vai ver os gráficos e as luzes mudar para refletir seu nível de coerência. Com os exercícios semanais e consecutivos o paciente poderá aumentar a sua capacidade para assumir o comando de suas reações emocionais. Sua saúde, sono, relacionamentos e qualidade de vida tende a melhorar.

Os treinamentos são efetuados através de um programa de software e hardware coleta dados de pulso através de um sensor de orelha ou um dedo que se conecta ao computador. O programa traduz a informação de seus ritmos cardíacos em gráficos exibidos na tela do computador dando o feedback do ritmo cardíaco que esta sendo trabalhado.


Os treinos podem ser efetuados através de eletrodos colocados na orelha ou nos dedos. Estes captam a frequência cardíaca que é direcionada para o computador e este através dos jogos e do feedback facilita o desempenhos dos treinos desenvolvendo o equilíbrio.










Como é feito os treinos FVC: Através de jogos e ou imagens o paciente inicia os treinos abrindo telas no computador avançando os níveis para obter o controle da frequência cardíaca. Cada game ou estimulo visualtem níveis que deverão ser a tingidos para o bom desempenho do treino FVC, são agradáveis e de fácil utilização.




Durante os treino podemos obter as planilhas do desenvolvimento dos exercícios que estão sendo executados.









Coerência Cardiaca -Variabilidade da Frequencia Cardiaca: Entre as medidas de atividade cardíaca, ultimamente tem se destacado a variabilidade da frequência cardíaca (VFC ou HRV, heart rate variability) como uma avaliação significativa relacionada ao sistema nervoso autônomo e mortalidade cardiovascular, e tem se apresentado como importante marcador da atividade do sistema nervoso autônomo SNA . É definida como a variação medida entre o tempo transcorrido entre duas ondas R’s, ou seja, entre RR sucessivos (2). No eletrocardiograma, o batimento cardíaco apresenta um pico gerado pela despolarização atrial (contração dos átrios) chamado de onda P, um complexo de despolarização ventricular (contração dos ventrículos) conhecido como complexo QRS e finalmente a despolarização do ventricular (relaxamento dos ventrículos), como onda T. Devido à massa dos ventrículos serem maiores que a dos átrios, a distância entre picos R’s de complexos QRS consecutivos é facilmente medido. A frequência cardíaca instantânea pode ser estabelecida como o intervalo entre dois picos R’s consecutivos, conhecido com intervalo RR. A variabilidade da frequência cardíaca é, portanto, a variação encontrada nos intervalos de tempo decorridos entre os picos RR em uma série de medias realizada no domínio do tempo.Numa sequência de eventos científicos importantes se deram os principais marcos históricos ocorridos no desenvolvimento da VFC. Em 1965, estudando a VFC em gestantes durante o parto, Hon e Lee verificaram que a angústia fetal era precedida por alterações nos intervalos RR do feto antes que uma alteração apreciável na sua frequência cardíaca. Sayers e seus colaboradores, em 1976, demostraram a existência de ritmos fisiológicos embutidos na frequência de sinal de batimento a batimento cardíaco (intervalos RR). Em 1978, Wolf fez a associação de maior risco de mortalidade pós infarto em pacientes que apresentavam VFC reduzida. Akselrod e sua equipe, em 1981, fizeram a introdução quantitativa da Análise Espectral de Energia (PDS) das flutuações de frequência cardíaca. Pomeranz, em 1985, fez a avaliação da função autonômica em humanos por meio de análise espectral da frequência cardíaca. Por meio dessa técnica é possível monitorar a atividade autonômica de forma não invasiva e em tempo real. Ewing e colaboradores, em 1985, demostraram as diferenças de curto prazo medido pelo intervalo RR com auxiliar para detectar neuropatia autonômica em pacientes diabéticos Em 1996, foi criado um Task Force para estabelecer padrões de medida, interpretação fisiológica e uso clínico da VFC Existem dois métodos lineares de medida da VFC: domínio do tempo e domínio da frequência. No domínio do tempo calcula-se o valor médio de RR (ou NN, normal),o desvio padrão de uma série de NN (SDNN), variância entre outros parâmetros. No segundo método, domínio da frequência, mostra como a variância(potência) se distribui em função da frequência. Para tal, usam-se algoritmos matemáticos não paramétricos, sendo mais usada a Transformada Rápida de Fourier (FFT). Outros métodos paramétricos e não lineares são encontrados na literatura. Uma breve revisão na literatura científica sobre Biofeedback cardiovascular e coerência cardíaca demostra o amplo espectro de aplicações e resultados em diversos estados

Textos originais:

https://julyneuro.wordpress.com

www.nptronics.com.br/biblioteca-virtual-1/

2 visualizações